Internet das Coisas: qual é a sua relação com provedores de Internet?

A Internet das Coisas é uma das tendências de TI mais comentadas atualmente. Longe de ser algo apenas presente em filmes futuristas, o fato é que ela está cada vez mais inserida no dia a dia da sociedade. Afinal, é uma tecnologia inovadora, com o potencial não só de impactar o modo como as pessoas vivem, mas também a forma como trabalham.

Os provedores de internet desempenham um papel crucial para a implementação dessa inovação no Brasil, pois haverá uma demanda ainda maior por velocidade e qualidade de dados. O segmento tem uma oportunidade enorme de crescimento em tal cenário, mas é preciso tomar alguns cuidados e se manter antenado para se antecipar às tendências e marcar presença nesse mercado.

Para que isso seja possível, é preciso conhecer um pouco mais a fundo essa tecnologia. Para isso é que fizemos este post. Nele, você conhecerá os principais fenômenos e tendências da Internet das Coisas, bem como as novas oportunidades de negócio às quais os provedores de internet devem estar atentos. Acompanhe!

O que é Internet das Coisas (IoT)?

Internet das Coisas — ou Internet of Things, em inglês — é um termo que foi criado para designar os objetos que se conectam à internet ou entre si. Não estamos falando apenas dos dispositivos que tradicionalmente usamos para acessar a internet, como computadores, smartphones ou tablets, mas de aparelhos e objetos que usamos e com os quais interagimos no dia a dia, como geladeiras, cafeteiras, carros, portões, entre outros.

Ou seja, essa tecnologia está mudando a forma como nos relacionamos com o mundo à nossa volta, e, em um futuro próximo, toda a nossa rotina será controlada por esses dispositivos. Eles coletarão em tempo real os dados que produzirmos e se comunicarão com a web, podendo produzir tarefas sincronizadas. 

Um exemplo disso são os já bastante utilizados sistemas “sem parar”, que abrem as cancelas dos pedágios, eliminando a necessidade de o motorista perder tempo em longas filas de carros.

Dessa forma, podemos identificar a IoT como uma oportunidade para que possamos melhorar vários aspectos de nossa sociedade, com possibilidades ilimitadas — de objetos de uso pessoal, passando pelos serviços de utilidade pública até projetos do setor privado. Quer saber como essa tecnologia pode ser implementada? Continue lendo e veja a seguir algumas das suas aplicações!

Em serviços de utilidade pública

Serviços públicos — como os prestados pela polícia, bombeiros e socorristas — serão aprimorados com a ajuda de dispositivos conectados à rede, tendo mais agilidade e eficiência. Um bom exemplo são as câmeras equipadas com software de reconhecimento facial, que consegue cruzar os dados e alertar a central de polícia, caso seja identificado algum suspeito.

Em caso de emergências médicas, os socorristas poderão acessar o histórico dos pacientes com base em informações vindas de seus dispositivos móveis ou roupas conectadas. Informações importantes como alergias, preferências médicas, tratamentos em curso, doenças crônicas e uma série de outros dados poderão ser antecipados, diminuindo o tempo de ação.

Nas cidades inteligentes

A cidade de Barcelona (na Espanha) é uma das cidades pioneiras na implementação da Internet das Coisas em suas atividades. A prefeitura criou uma equipe especial para atuar nesse processo, chamada Barcelona Ciutat Digital, que iniciou 22 programas em 12 áreas de intervenção, que incluem 83 projetos diferentes em toda a sua área urbana.

Eles elaboraram projetos para melhorias nos transportes, coleta de lixo, abastecimento de água, fornecimento de energia etc. — tudo controlado por sensores e softwares desenvolvidos sob medida.

Na segurança dos motoristas

Um dos grandes exemplos de interconectividade entre objetos é o CarPlay — aplicativo da Apple. Ele permite ao condutor de um veículo conectar seu iPhone ao automóvel, possibilitando ao usuário visualizar todos os recursos do smartphone no painel digital do carro.

O aplicativo permite ao usuário executar todas as ações que faria com o aparelho em mãos, como receber ligações, tocar músicas e enviar mensagens, sem correr qualquer risco. O sistema utiliza o assistente virtual Siri, mas também pode ser controlado pelos botões do carro ou no próprio painel digital.

Casas inteligentes

Quando a Internet das Coisas se tornar uma tecnologia popular, o efeito que a maioria das pessoas sentirá será em relação aos objetos e aparelhos pessoais. Por exemplo, imagine que, ao acordar, você desligue o despertador e, quando chegar à mesa, já encontre seu café pronto.

Além disso, é possível que, ao abrir a porta de casa, as luzes se apaguem automaticamente, pois um algoritmo já terá identificado que a casa fica vazia em um determinado horário, com os sensores de presença. Já existem empresas especializadas nesse tipo de empreendimento imobiliário, mas ainda é um tipo de automação acessível a poucos.

Como os provedores de internet podem se beneficiar da Internet das Coisas?

Hoje em dia, com a quantidade de equipamentos que conectamos à internet ao mesmo tempo, como smartphones, tablets e PCs, já necessitamos de um serviço de internet rápido e de boa qualidade. Imagine então quando toda a nossa casa e nosso quintal estiverem conectados!

Na maioria das vezes, a lentidão de alguns serviços de internet prejudica o acesso a serviços de entretenimento, como o streaming de música ou de vídeos. No futuro, essa lentidão poderá travar uma casa inteira, atrasando a rotina dos moradores e até bloqueando serviços, gerando uma insatisfação enorme do cliente. Cabe aos provedores de internet se anteciparem a essas necessidades se quiserem buscar o crescimento e superar a concorrência.

A tecnologia vai gerar uma quantidade enorme de novas conexões para as quais os provedores terão que se preparar, inclusive, por meio de investimentos em infraestrutura e equipamentos mais eficientes, para garantir qualidade, como o uso de fibra óptica.

Além disso, o empreendedor deve ficar atento à possibilidade de fazer parceiras com outros setores envolvidos diretamente na produção de produtos voltados para a Internet das Coisas, como os fabricantes de sensores e desenvolvedores de softwares.

Outro fator a que os provedores deverão ficar atentos é em relação à segurança da informação. O serviço prestado deverá ser oferecido por meio da comunicação adequada entre a estrutura de TI e um controle dinâmico em toda a rede.

Como a Internet das Coisas impacta a gestão de sua empresa?

Como vimos no tópico anterior, as empresas precisarão se antecipar, assim como deverão se adaptar a essas mudanças. Será preciso rever modelos de negócios, reestruturar relações de trabalho e providenciar todos os cuidados necessários para garantir a segurança dos processos.

Mudança de cultura

Várias empresas já utilizam o Big Data como auxílio para prever cenários, otimizar processos e orientar decisões. Porém, não adianta contar com esses recursos se os gestores ou colaboradores continuarem apegados aos modelos operacionais tradicionais.

É necessário que os profissionais façam uma análise de suas rotinas e decisões para uma melhor adaptação às novas tecnologias, como a Internet das Coisas.

Mais investimento em tecnologia

Os aplicativos conectados por meio da IoT precisam receber informações instantâneas para atender imediatamente aos comandos estabelecidos. Tudo isso demanda a transmissão de um grande volume de dados.

Eles são gerados e, antes de chegarem ao Data Center, são processados em sistemas intermediários, que podem estar na nuvem ou em computadores dentro da empresa — sendo que as duas soluções demandam um determinado investimento em TI.

Flexibilização nas relações de trabalho

Com a popularização e barateamento dos dispositivos móveis, várias empresas já estão criando alternativas para contratarem colaboradores para trabalharem de forma remota. A adoção do home office pode resultar em diminuição de custos e aumento da produtividade.

Além disso, é possível otimizar o tempo, já que os funcionários poderão se reunir com os superiores e colegas a distância, sem perderem tempo com deslocamento. Ou seja, mais lucro para a empresa e qualidade de vida para os colaboradores!

Performance

O crescimento da Internet das Coisas marca o início de mais um período de transição para os profissionais de Tecnologia da Informação. Em momentos de mudança como esse, é muito importante monitorar a performance de sua equipe — eles deverão aumentar a carga de estudos sobre inovação, programação, segurança etc., além de dar conta do expediente normal da semana.

É muito interessante estudar novos modelos de gestão a fim de aprimorar o sistema que você utiliza hoje em seu negócio. Afinal, se o mercado está mudando, nada mais justo do que fazer mudanças também na sua metodologia.

Segurança digital e IoT: quais os desafios enfrentados?

Se nos anos 2000, o principal requisito para ter um computador seguro era a instalação de um antivírus atualizado, atualmente, até uma geladeira, um carro ou até mesmo um coração precisam estar 100% imunes a uma invasão digital. Mesmo com a tecnologia da Internet das Coisas ainda não tendo atingido o seu ápice, já foram registrados alguns casos de objetos conectados à rede que correram ou ainda correm o risco de serem invadidos.

Sistemas de reconhecimento de voz, GPS, microfones e câmeras coletam dados preciosos das pessoas e podem ser usados para prejudicar a sua segurança ou privacidade. Até babás eletrônicas já foram invadidas.

Por isso, há a necessidade de uma regulamentação, para garantir segurança aos consumidores. Mas como a tecnologia ainda está engatinhando, em uma escala macro, isso vai depender do crescimento dos clientes, dos investimentos e da capacidade de mutação e adaptação das empresas. Veja abaixo alguns exemplos de problemas de segurança relacionados à Internet das Coisas.

Recall da Chrysler

Em 2015, a empresa automotiva americana teve que fazer um recall de 1,4 milhão de carros que estavam conectados à internet. Isso aconteceu porque alguns hackers descobriram uma brecha para acessar remotamente os sistemas do veículo, como controle de direção e freios, por exemplo — o que poderia colocar em grande risco os usuários.

Atualização de marca-passos

Ainda nos Estados Unidos, 465 mil pessoas receberam uma notificação, que dizia que elas deveriam atualizar seus marca-passos, para evitar uma possível invasão do órgão vital por hackers. Os aparelhos faziam parte de um lote que tinha conexão com a internet — ele enviava os dados do portador por Wi-Fi para clínicas ou médicos que monitoravam os pacientes.

Como o IoT muda os hábitos de consumo de seus clientes?

A Internet das Coisas permite que as empresas acumulem e acessem informações sobre os hábitos de consumo das pessoas. Isso acontece porque estamos conectados quase 24 horas por dia na web, com smartphones e PCs. Como há um crescimento da Internet das Coisas e mais objetos conectados, a tendência é que esse volume de dados não só aumente em quantidade como em precisão — já que objetos diferentes cumprem funções distintas.

Os dados coletados de um carro, por exemplo, poderão ser enviados a concessionárias, empresas especializadas em autopeças ou rede postos de combustíveis — as possibilidades são ilimitadas. Quando você faz compras online, é possível que não leve em consideração a quantidade de dados que gera.

Mas saiba que esses dados podem ser considerados o centro do relacionamento entre você e as lojas, sendo ativos valiosíssimos que podem transformar e otimizar a experiência de compra. Esse novo fluxo de dados — se bem coletado e processado — impactará na hora da divulgação e venda de produtos, sendo possível para a empresa direcionar o serviço ou produto exato do qual o cliente precisa.

O empresário passa a ter condições de oferecer soluções mais assertivas, ofertando um melhor atendimento ao cliente. Mesmo que essa ideia possa parecer um pouco desvantajosa para o consumidor, o saldo final é positivo, pois a empresa se aproxima dele, que, por sua vez, recebe ofertas mais alinhadas aos seus anseios.

As ferramentas focadas em dados representam apenas o começo das inúmeras possibilidades que a tecnologia representa no sentido de colocar o consumidor em outro patamar na experiência de compra. Atualmente, temos empresas de comércio eletrônico que estão incentivando os clientes a usarem a realidade virtual para comprarem em qualquer lugar do mundo e sem saírem de casa, criando uma experiência imersiva que possibilita aos varejistas alcançarem novos mercados de forma criativa.

Com a infraestrutura da Internet das Coisas colocada em prática, o relacionamento empresa/cliente poderá ser direto, baseado no acesso a dados objetivos e direcionados. Assim, será possível mensurar e compreender mais precisamente quem são os seus clientes e como suas necessidades mudam ao longo do tempo, e ofertar produtos de forma personalizada.

4 tendências da Internet das Coisas para você acompanhar

Confira abaixo 4 das tendências de IoT para os próximos anos:

1. Aumento no uso de Inteligência Artificial

A Internet das Coisas é terra fértil para outras duas fortes tendências do TI para o futuro: o Machine Learning e a Inteligência Artificial. Além da conexão com a web, os objetos precisarão de algoritmos, para deixar as operações autônomas, sem a necessidade de interferência humana para fazer upgrades. O ideal é que os aparelhos aprendam os hábitos de seus donos conforme o uso, ou até mesmo cruzando dados da internet.

2. Novos modelos comerciais

A primeira escolha das empresas para conectividade IoT é WiFi ou redes móveis, modelos tradicionais. Porém, com o aumento do uso da Internet das Coisas e com o avanço da tecnologia, as corporações estão considerando a utilização de novas opções de conectividade, como 5G e LPWAN.

A LPWAN (Low Power Wide Area Network) possibilita à empresa enviar poucos dados em distâncias largas, garantindo maior durabilidade para as baterias a serem implementadas durante os processos de comunicação e aplicação.

3. Adoção de Blockchain

A tecnologia conhecida como Blockchain ajuda as empresas que utilizam a Internet das Coisas a direcionarem os clientes de forma mais eficiente. Os sistemas utilizam os blocos de bloqueio para armazenarem, organizarem e compartilharem os dados de forma eficaz e com credibilidade.

4. Transformação Digital

A IoT tem sido de grande importância na condução de esforços de Transformação Digital de muitas empresas, uma vez que elas obtêm novos conhecimentos sobre seus ativos e podem criar novos modelos de negócios com base em dados e análises.

Como encontrar oportunidades de negócio graças à Internet das Coisas?

O fenômeno IoT oferecerá novas oportunidades de otimização de ciclos de negócios e redução de custos operacionais, o que aumentará a receita para investimentos. A Internet das Coisas tem terreno fértil para empreendedores de várias áreas, desde provedores a fábrica de roupas.

Para não perder um mercado com extremo potencial, é preciso ficar atento e antecipar-se às tendências. A seguir, você verá como e de que forma a Internet das Coisas pode alavancar as empresas em nosso país. Confira!

Produção e comercialização de produtos conectáveis

O comércio de produtos eletrônicos como tablets, smartphones, smart TVs, smartwatches, despertadores, luminárias, utensílios domésticos, roupas, ou qualquer outro objeto que permita a conexão com a internet por meio de sensores é um setor com enorme potencial na aplicação da IoT. Se trabalharem em conjunto com os provedores e programadores, criando produtos personalizados, as possibilidades de lucro serão muito grandes.

Venda de dados como serviços

Certamente, você já sabe que muitas empresas analisam e vendem o acesso a dados. Esse modelo é conhecido como Data as a Service (DaaS). Com o avanço da Internet das Coisas, novas possibilidades de informações sobre a performance e uso de equipamentos surgirão.

Utensílios domésticos, veículos, instrumentos, e a maioria dos objetos que nos rodeia estão ou em breve estarão conectados à internet. As empresas poderão se apropriar das informações sobre o uso de um determinado produto doméstico e implementar modificações pontuais, que tornem seus produtos mais competitivos.

Automação de trabalho

Os investimentos em automação industrial já movimentam um bom capital financeiro. A tendência é esse tipo de serviço crescer cada vez mais. Se antigamente, as auditorias eram maçantes e até mesmo tensas, hoje esse processo já pode ser feito de forma totalmente automatizada.

Com sensores espalhados por toda a empresa, os gestores poderão imprimir um relatório sobre determinada área, finalizando o processo em poucos segundos, sem prejudicar a produtividade da organização. Assim, lucro e agilidade andam de mãos dadas!

Gerenciamento de ativos

Com a Internet das Coisas, o gerenciamento de ativos se tornou uma tarefa bem menos enfadonha. Hoje, as empresas monitoram os estoques e fazem inventários em tempo real. Isso reduz os custos de logística e aumenta a eficiência no processo de manutenção corretiva.

Como um call center terceirizado pode ajudar a sua empresa com as oportunidades da IoT?

Ao contratar um call center especializado, sua empresa poderá coletar informações estratégicas para que você identifique os principais anseios de seus clientes. Contratando uma empresa que presta um serviço de qualidade, atendentes bem treinados vão adquirir os dados para análise, além de registrarem todas as sugestões e as críticas, diminuindo a taxa de churn.

Esse serviço contribuirá com ideias valiosas para melhoria contínua, desenvolvimento de produtos e serviços, descoberta de novas oportunidades e até mesmo de mercados de atuação.

Tenha mais tempo para se dedicar ao seu produto

Ao terceirizar o serviço de call center na sua empresa, você terá mais tempo para o desenvolvimento de seus serviços ou produtos, pois contará com profissionais treinados e uma estrutura pronta para atender seus clientes com excelência. Além disso, muitas dessas empresas oferecem o atendimento 24 horas por dia, possibilitando que os clientes possam ser atendidos no horário que seja melhor para eles.

Todos esses benefícios são obtidos sem se preocupar em manter a estrutura funcionando — ao optar pela contratação de um serviço especializado, o empreendedor não precisará fazer um investimento pesado em infraestrutura, mão de obra e treinamento de pessoal, já que essa obrigação fica por conta da empresa prestadora.

Ao contrário do que muita gente pensa e propaga por aí, dizendo que a terceirização poderá te distanciar dos problemas apresentados pelos seus clientes, se a empresa que você contratou estiver alinhada com suas expectativas, e com métricas bem definidas para medir os resultados, não há com o que se preocupar nessa área.

Agora que você já conhece todos os benefícios e oportunidades que a Internet das Coisas oferece, está na hora de começar a ouvir seus clientes. Comece seguindo as dicas que foram dadas acima. Contrate um serviço de call center externo para sua empresa e comece a pesquisar sobre quais aparelhos os seus clientes utilizam para se conectarem à rede, além dos convencionais PCs e smartphones.

Se você curtiu o nosso texto e quer aumentar a competitividade de seu empreendimento, baixe já o nosso manual do call center para pequenas e médias empresas.

2018-02-07T14:12:51+00:00

Deixar Um Comentário